Próxima parada… Milão

A primeira vez que estive em Milão, em 2008, foi apenas uma escala para trocar de avião. Precisei trocar de aeroporto e por uma horinha passei de ônibus pela cidade. Lembro que não me despertou vontade de conhecê-la, até porque sempre que se fala em Itália, outras cidades como Roma, Florença e Veneza chamam mais a atenção. Entretanto, dessa vez decidi ficar uma esmana em Milão para não apenas conhecê-la, como também usá-la de base para fazer pequenas viagens até as cidades mais próximas. 
Cheguei em um sábado a tarde, à 17h. A primeira frustração com a cidade (na verdade com a Itália toda) é o fato de que no inverno anoitece muito cedo, a partir da 4h30 da tarde. Ou seja, cheguei e fui direto para o hostel, pois já era ‘noite’. O hostel merece um post à parte. Em breve falarei sobre ele.

No domingo pela manhã fui direto ao ponto turístico mais famoso: Duomo, que dizem ser a maior catedral gótica da Itália. Realmente, logo que se sai do metrô a uma visão é de tirar o fôlego. E já que estava ali, resolvi fazer o passeio completo. Comprei o bilhete para subir até a cúpula. Custava 10 euros para subir de escada (250 degraus) e 13 euros para ir de elevador. Optei pela forma mais cômoda, afinal o que são 3 euros se comparados a 250 degraus para uma pessoa sedentária?! 

Duomo, magnífica
A arquitetura é mesmo impressionante, algo feito com muito capricho até nos mínimos detalhes (não foi a toa que levou cinco séculos para ficar pronta). O ingresso dava direito a ver o Batistério e o Tesouro também, mas todas as vezes que entrei na igreja estava tendo missa e nessas horas a área do tesouro fica fechada. Tentei voltar mais vezes, mas confesso que as lojas ao redor me roubaram a atenção. Aliás, Milão é realmente a cidade perfeita para se fazer compras (quando se tem bastante dinheiro). E assim foi meu segundo dia na cidade

Na segunda-feira fui até uma cidadezinha perto, conhecer Lago di Como. Uma cidade encantadora (em breve post), perfeita para passar o dia. Já na terça-feira fui visitar o Castello Sforzesco e o estádio do Inter de Milão. Não entrei no estádio porque estava em contenção de gastos, mas para quem quiser conferir, o bilhete custa 12 euros. 

Entrada do Castello Sforzesco
Também fui até a Igreja Santa Maria delle Grazie, onde está a pintura original da última ceia, feita por Leonardo da Vinci. Na verdade, para visitar a igreja não é preciso pagar nada, mas quem quiser ver a pintura precisa desembolsar 6,50 euros para poder entrar na sala em anexo, onde está a obra. Um pequeno detalhe faz aumentar o custo do passeio: não se pode entrar sozinho. É necessário ter um guia junto e para isso é preciso pagar mais 3,50 euros. Ou seja, a visita sai por 10 euros e dura cravados 15 minutos. A guia conta a história toda da obra em inglês, mas há opções de áudios em outros idiomas, como o espanhol por exemplo. Antes de viajar li em muitos sites que deveria agendar a visita com antecedência, porém cheguei faltando meia hora para começar uma das visitas e consegui o ingresso facilmente. 
 Batendo um papo com Santo ‘Tony’ (paga-se 0,50 centavos para acender uma vela pra ele)
E assim se acabaram os principais pontos turísticos a serem visitados. Para o viajante que quer otimizar o tempo, pode-se ‘conhecer’ tudo em dois dias e ainda terá tempo de sobra para as compras. E por falar nisso, listei abaixo algumas da lojas que vale a pena uma visita (mesmo que seu orçamento seja pequeno).
ALDO: loja de sapatos, bolsas e acessórios. Uma marca muito conhecida no país e com excelentes preços. Encontra-se uma loja na Via Dante, 9. www.aldoshoes.com.
FERRARI: mesmo que não vá comprar nada, a loja merece uma visita. Entre a variedade de produtos (caaaaros) da marca há um carro de fórmula 1 dentro da loja, onde pode-se tirar fotos (mas não pode entrar dentro dele). E também na parede, o autógrafo de Rubens Barichello atrai alguns flashes. Está localizada atrás da Galleria Vittorio Emanuele II, na Piazza del Liberty, 8. www.store.ferrari.com.
Autógrafo quase invisível do Rubinho
CARPISA: loja de bolsas. Todos os tipos e estilos. Uma marca italiana com preços bem acessíveis. Perto de Duomo, um dos endereços é a Corso Buenos Aires, 28. http://www.carpisa.com
KIKO DE MILANO: ahhh.. minha paixão forever ever ever…Para quem gosta de maquiagem esta loja é o paraíso. Produtos de excelente qualidade (minha paixão: as sombras com cores vibrantes e que se fixam por até 12 horas. Preço: 3 euros cada) e preço camarada. Há várias lojas espalhadas pela cidade, mas uma perto de Duomo é a da Corso Buenos Aires, 3. www.kikocosmetics.com
Ledinara Batista

Ledinara é jornalista, blogueira e estudante de turismo. Curitibana que adora turistar pela cidade, descobrindo lugares novos. Principalmente se esses lugares tiverem doces, guloseimas e Nutella! Suas descobertas estão aqui, no blog Férias NOW, onde dá dicas para você tirar férias, nem que seja em pensamento.

Leave a Reply