Meia Noite em Paris by Bike

bike 01

Só o título já me faz dar um suspiro…

Quando decidi os países para onde ia nas férias e incluí Paris no roteiro, comecei a ler ainda mais o Blog Conexão Paris. E foi lá que vi um passeio que me encantou desde o nome: Meia Noite em Paris by Bike.
00

(Foto: Eliane Luz)

Só havia um pequeno detalhe: eu não sabia andar de bicicleta!

Sempre tive vontade de aprender, mas era uma ideia que ia ficando de lado. Quando era criança minha mãe não me ‘deixou’ aprender porque tinha medo que eu caísse (coisas de mãe). Depois que cresci, quem ficou com medo de cair fui eu. Mas, vi neste passeio a oportunidade que faltava para aprender. E a partir de então, pedalar meia noite por Paris passou a ser um item da minha Bucket List! Contei AQUI como foi a experiência de aprender a andar de bike.
Enquanto treinava, entrei em contato com a Fernanda Hinke e fui convidada a fazer o passeio quando estivesse em Paris. Tive apenas 2 dias em Paris, pouquíssimo tempo para desfrutar desta linda cidade. Em teoria foi um dia inteiro e metades de outros dois dias. E foi neste dia que fizemos (eu estava com a minha amiga Eliane, lembram?!) um walking tour de três horas durante a manhã, passeamos a tarde toda e pedalamos mais 3h durante a noite gelada e iluminada da cidade luz.
02

(Foto: Eliane Luz)

Uma curiosidade: você sabia que Paris é a terceira cidade mais visitada do mundo?
A pesquisa Global Destination Cities Index 2013, elaborada pela Mastercard, apontou os 20 destinos mais visitados em 2013 e mostrou que a capital francesa só perde para Bangkok, na Tailândia e Londres, na Inglaterra. A cidade recebe 13,92 milhões de visitantes estrangeiros por ano.

Confesso que até então pensava que Paris era como Veneza: uma cidade para ir em casal! Mas me surpreendi. Além do romantismo de praxe, a capital francesa une beleza, romance, história e cultura. Ou seja, há muito que se fazer ali.
E se durante o dia Paris já impressiona, é a noite que ela mostra a sua magia. Ou melhor, é a brasileira Fernanda Hinke que nos mostra a magia da cidade.
A Fernanda é jornalista e empreendedora cultural, vive há dois anos em Paris e adora pedalar. É uma empreendedora cultural com foco na street-art. Em seu site ‘My Life on My Bike’, escreve sobre manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público. Ela contou que a ideia veio por acaso, numa noite após voltar de uma festa. E 2013 foi a primeira temporada deste tour – que é inédito na França – e já foi um sucesso absoluto. Também, pudera, quem resiste à ideia de pedalar pelas ruas e ciclovias com as luzes amarelas refletindo no rio Sena e iluminando o caminho? Passar pelos principais pontos turísticos, com a cidade vazia, quase particular?! Quase um sonho.
05

Às 21h30 de uma gelada noite de quarta-feira encontrei-me com ela e mais um casal de turistas, na saída do metrô Pont Marie (Linha 7). Ali cada um alugou a sua bike e começamos a descobrir os encantos da noite parisiense que tanto fascinaram o personagem Gil (Owen Wilson), no premiado filme de Woody Allen.

O tour percorre aproximadamente 16 km e o objetivo principal é chegar, minutos antes da meia-noite, à Torre Eiffel.
04

(Foto: Eliane Luz)

Parece simples né? Mas aí entra um pequeno detalhe: eu tinha recém aprendido a pedalar. Na verdade, tive 2 aulas em Curitiba, depois treinei mais 2 dias em Bournemouth, uma semana antes de ir para Paris. Ou seja, aquela noite seria a minha quinta vez em cima de uma bicicleta!!!

No começo cheguei a pensar que não daria conta. Pedalar na rua é algo que ainda não me acostumei totalmente, pois sempre parece que a lataria dos carros tem um imã que puxa a bicicleta para perto. Tenho muito medo ainda. Já, na ciclovia, sou um pouco espaçosa e me preocupa dividir o espaço com outros ciclistas. E o passeio se divide em oras na rua, oras na ciclovia.
A primeira meia hora foi tensa. Tanto que no final do passeio a própria Fernanda me confidenciou que por alguns momentos, no inicio, chegou a achar que eu não iria conseguir fazer até o final. Mas a vontade era tão grande que logo o medo passou e quando percebi já estava pedalando junto com os outros turistas.
06

(Foto: Eliane Luz)

O passeio começou nas Île Saint-Louis e Île de la Cité, onde é possível ver apenas uma pequena parte da Torre Eiffel e conhecer o marco zero da cidade, que está localizado há pouco mais de 30 metros da entrada da catedral de Notre-Dame. Primeira parada para as fotos, enquanto Fernanda contava um pouco da história do local. Em torno desta área, não tem como deixar de apreciar a vista impressionante da parte de trás da Catedral, com sua arquitetura gótica.

No caminho alguns pontos turísticos embelezavam o trajeto, como o Museu D’Orsay – uma antiga estação ferroviária construída em 1900, que foi transformada em um museu de Arte Moderna. Dentro há um restaurante que propõe uma atração especial: às quintas-feiras o turista pode jantar e visitar o museu por apenas 55€. Eis um dos inúmeros motivos que me farão voltar a Paris.
Conforme íamos pedalando, a Torre Eiffel se aproximava. Nosso objetivo era estar lá antes da meia-noite, para assistir aos precisos cinco minutos de luzes antes de elas se apagarem completamente.
bike 10

(Foto: Eliane Luz)

Seguimos pedalando até chegar à Ponte Alexandre III, a exuberante ponte sobre o rio Sena, enfeitada pelos imponentes anjos de ouro. Mais algumas pedaladas e nos deparamos com os jardins secretos que despontavam nela, a tão esperada Torre Eiffel, o símbolo mais importante da França.

Acredito que toda viagem tem aquele momento em que você para e pensa: “será que estou sonhando? Estou realmente aqui?!”. Em Paris, esse momento ocorreu nas duas vezes em que estive diante da Torre. É incrível a sensação de estar num ponto turístico que você sempre via apenas por fotos. Estar ali é emocionante!
01

Final da tarde, com a luzes já acesas. (Foto: Eliane Luz)

E chegamos em cima do laço. Mas com tempo suficiente para ver os magníficos 5 minutos em que as luzes piscam lindamente e depois se apagam.

IMG_20131023_030522

bike 9

Com a Fernanda, idealizadora do passeio. (Foto: Eliane Luz)

00h05. Luzes apagadas. Era hora de continuar o passeio. A Champs-Élysées e o Louvre nos esperavam. Chegamos ao centro da Place de la Concorde, que estava absolutamente vazia. Eu já havia estado na praça durante o tour a pé de dia, mas vê-la a noite tem uma magia totalmente diferente. A maior praça da capital francesa, uma das mais famosas, palco de importantes acontecimentos da história da França e cenário de dezenas de filmes do cinema. Quem não se lembra da cena do filme ‘O Diabo Veste Prada’ em que Andy (Anne Hathaway) joga o celular em uma fonte e assim se livra da impiedosa Miranda Priestly (Meryl Streep)? Pois então, a fonte era ali, entre o Jardim de Tulleries e a Avenida Champs Elysées.

A famosa avenida está logo à frente, com o Arco do Triunfo no final, e, ao mesmo tempo, a Torre Eiffel, em uma simetria perfeita.
08 - Champs Elisee

(Foto: Eliane Luz)

bike 7

Champs Elysées. (Foto: Eliane Luz)

Continuamos de bicicleta ao lado da beleza do Jardim de Tulleries, agora com o objetivo de alcançar o último monumento “arte de rua”, em nosso tour: O Louvre. Porém, quando chegamos ele tinha recém se apagado. Taí um motivo pra repetir o passeio de bike quando voltar à Paris!

Três horas se passaram sem que percebêssemos. Nada de fome ou sede. Apenas uma sensação quase anestésica de estar embriagado com a beleza da cidade.
12 - turistas no ponto de chegada do passeio

Chegada, três horas passaram voando.

Desde que li sobre o passeio, imaginava que ele seria lindo. Só não tinha ideia de o quão lindo seria. Paris é uma cidade de se encher os olhos. Há muita coisa para se ver. Penso que seria necessário pelo menos uma semana na cidade para conhecê-la com calma e poder desfrutá-la.

O fato de o passeio ser realizado tarde da noite possibilita apreciar ainda mais do cenário. O tráfego é menos intenso, as ruas estão mais vazias e os monumentos iluminados. Ao final Paris mostra que é uma cidade para ser visitada durante o dia e contemplada durante a noite.
Como diria o filme, “Paris de manhã é bonita. Paris à tarde é charmosa. Paris ao anoitecer é encantadora. Mas Paris após a meia-noite é mágica.”.
Eu diria mais, é deslumbrante!
Aqui a Fernanda conta como nasceu o passeio e você pode ter uma ideia de como é.
*** O passeio foi um CONVITE (paguei apenas o aluguel da bicicleta), mas a opinião é extremamente pessoal. ***

 

Serviço:
Meia Noite em Paris by Bike
Preço: 50€ mais o aluguel da bicicleta, cerca de 10€. A champagne já está incluída no valor.
Duração: 3 horas
Contato: fernanda.undergroundparis1@gmail.com
 
Este passeio resultou numa matéria para a revista Belleza Total, que você pode ver a matéria AQUI!

(Fotos: Eliane Luz)


*** Minha viagem contou com a cobertura da Assist-Med Brasil, que em parceria com o blog, cedeu o meu seguro viagem. ***



Ledinara Batista

Ledinara é jornalista, blogueira e estudante de turismo. Curitibana que adora turistar pela cidade, descobrindo lugares novos. Principalmente se esses lugares tiverem doces, guloseimas e Nutella! Suas descobertas estão aqui, no blog Férias NOW, onde dá dicas para você tirar férias, nem que seja em pensamento.

One Response to “Meia Noite em Paris by Bike”

  1. avatar
    1
    5 anos de Férias NOW! Parabéns!!! | Ferias Now Says:

    […] 8 países, inúmeras cidades, descobri um pouco mais do Brasil, vivi experiências incríveis (quem não suspira com a ideia de pedalar meia noite em Paris?) e conheci pessoas […]

Leave a Reply