Hospedagem em Florença: Hostel Archi Rossi

O post de hoje é uma dica para quem procura hospedagem de baixo custo e com boa localização em Florença.

Quando comprei minhas passagens para Madrid, em 2008, fiz escalas na Itália. Na ida em Milão (apenas troquei de aeroporto) e na volta em Roma. Passei cinco dias na Itália e nesse pouco tempo consegui conhecer um pouco de Roma e de Florença. Havia me programado para visitar Veneza também, tinha reservado hostel lá inclusive, mas como o tempo estava ruim (chovia muito) e eu tenho um pouco de receio com água, acabei cancelando a visita à cidade flutuante. Na época reservei hostels nas três cidades pela internet (www.hostelworld.com). Gostei dos dois que conheci, mas em especial esse de Florença, o Hostel Archi Rossi.



Fui de trem de Roma para Firenzi e desembarquei na Estação Ferroviária Santa Maria Novella numa tarde de sol. Fiquei encantada com o cenário. Andei poucas quadras até encontrar o albergue, que está localizado muito perto (250 metros) de todos os pontos turísticos da cidade.

Ao chegar lá encontrei, na recepção, um staff bastante simpático que falava italiano, inglês e espanhol. Eu que só conseguia me comunicar no espanhol não tive problema algum na comunicação. Na recepção eles forneceram um mapa da cidade e informaram sobre o serviço gratuito de guia turístico. Ao lado do balcão havia uma prateleira com guloseimas que podiam ser compradas ali, uma alternativa cômoda para quem não tem tempo de ir ao supermercado.

Minha reserva era no quarto coletivo feminino (com seis camas). Me surpreendi pelo ambiente espaçoso, que acomodava 3 bicamas, um armário com seis portas e uma mesa com um computador, que tinha acesso a internet liberado.
Aliás, internet era algo muito fácil de acessar. Além do computador no quarto, havia também alguns disponíveis na recepção. Gratuitos!

O banheiro era coletivo, no corredor, mas sempre limpo. O hostel não tinha elevador, mas uma das coisas que chamavam a atenção quando se estava subindo as escadas, eram as paredes: todas ‘pixadas’ com recados de hóspedes que passaram por ali. Inclusive, todos que se hospedam podem escrever ou desenhar o que quiser nas paredes. Essa ‘decoração’ dá um clima juvenil ao albergue.




Como cheguei no final da tarde, descarreguei minha mochila e fui dar uma volta pelos arredores e jantar. Na volta me surpreendi ao ver o jardim do hostel todo iluminado. Porém como já começava a chover, ele estava vazio. E assim permaneceu nos dois dias seguintes em que fiquei lá.



O hostel é dividido em vários imóveis, que são as alas com quartos que vão desde individual até os coletivos. O jardim fica no meio dessas construções e tem entrada para o refeitório. Aliás, o café-da-manhã estava incluso na diária. E era bem reforçado, tinha inclusive iogurtes.



No dia seguinte me inscrevi no passeio com guia (gratuito) pelos pontos turísticos. São dois itinerários distintos, eu fiz apenas um. A guia falava apenas em inglês, o que me causou uma certa dificuldade para entender algumas coisas, já que meu inglês não era nada fluente na época. Segurando uma flor de pelúcia ao alto, ela ia passando pelos pontos turísticos e contando um pouco da história. Como os locais turísticos são pertos uns dos outros, o passeio todo é feito a pé.


Fazia frio de uns 5°C (era novembro), mas mesmo assim a guia nos levou para tomar o famoso gelato de Firenzi na gelateria Vivoli. E mesmo tremendo de frio, todos que estavam no grupo provaram e se deliciaram com o cremoso sorvete. Eu saboreei o de nutella e estava divino.


Faltou tempo para ter feito o segundo roteiro, mas como Florença está na minha lista de regresso, esse tour certamente também está.
Se você gostou do Hostel Archi Rossi, saiba que para conseguir uma vaga é bom procurar com antecedência, pois ele é muito bem indicado pelos principais guias de viagens.

Serviço:
Hostel Archi Rossi
Via Faenza 94 R, Florence, 50123
http://www.hostelarchirossi.com

Gelateria Vivoli
Via Isola Delle Stinche 7r
http://www.vivoli.it/

Fotos: Arquivo pessoal e internet

Ledinara Batista

Ledinara é jornalista, blogueira e estudante de turismo. Curitibana que adora turistar pela cidade, descobrindo lugares novos. Principalmente se esses lugares tiverem doces, guloseimas e Nutella! Suas descobertas estão aqui, no blog Férias NOW, onde dá dicas para você tirar férias, nem que seja em pensamento.

Leave a Reply