Fim de semana no Rio Grande do Sul – Gramado

Como contei no post anterior, saímos de Canela na hora do almoço, com destino a Gramado.  Menos de 15 minutos de ônibus e estávamos na Avenida Borges de Medeiros, o ponto principal da cidade. Grande parte das lojas, restaurantes e hotéis estão ali. A rua é linda, principalmente se o dia estiver ensolarado (imagino que a noite ela também deve ser encantadora). Bancos de madeira e termômetros de mercúrio gigantes enfeitam as calçadas.
Fomos em busca de um restaurante. Porém não foi dessa vez que experimentei o Galeto ao Primo Canto. Como tínhamos pouco tempo e muita loja de chocolate, digo cidade, para conhecer, almoçamos num restaurante sem grandes atrativos mesmo.   
Em seguida veio a parte que eu mais esperava: o tour pelas lojas de chocolates! Realmente, o chocolate de Gramado tem um sabor diferente, muito gostoso, viciante! E os lojistas sabem disso, por isso os preços são bem salgadinhos. Entretanto não varia muito de loja para loja, o preço se mantém numa média. De todas as marcas que experimentei, as minhas preferidas foram a Lugano (claro!) e a Prawer (que tem um chocolate com laranja maravilhoso). Depois de realizar minhas modestas comprinhas (orçamento inversamente proporcional à minha gulosice), fomos conhecer a Rua Coberta.
Localizada em frente ao Palácio dos Festivais, a Rua Coberta trata-se de uma pequena (porém glamourosa) galeria com muitos bares, restaurantes e lojas. Durante a temporada de inverno há apresentações musicais e eventos que atraem o público nas noites geladas. Naquela tarde gelada havia uma apresentação de um cantor local. Ficamos por ali alguns minutos apreciando.

Saindo dali passamos pela Igreja São Pedro, conhecida como a Catedral de Gramado. Visualmente mais modesta que a de Canela, a estrutura montada em pedra basáltica exibe arte nos vitrais sacros que causam belos efeitos luminosos, lembrando as passagens da vida do Apóstolo Pedro ao lado de Cristo.

Já estava na metade da tarde, porém o frio era cortante. Mesmo assim ainda faltava um dos pontos turísticos principais da cidade: o Parque do Lago Negro.  Com o mapa em mãos fomos pelo caminho que, desconfio seja o mais longe haha.  Caminhamos cerca de 20 minutos por ruas repletas de restaurantes com rodízios de fondue. A tentação foi grande! E no caminho aprendemos que pechinchando consegue-se reduzir até R$ 30 no preço final. Fica a dica!
Depois de nos perdermos por alguns minutos, eis que um carro parou ao nosso lado. Dentro, um simpático casal de idosos nos ofereceu carona. Foi a sorte, pois sem eles ainda demoraríamos mais vários minutos até encontrar. Explico: o parque é um tanto ‘escondido’.
Mesmo numa tarde gelada, o Parque do Lago Negro estava cheio. Turistas se dividiam entre o pedalinho, as trilhas e o chocolate quente (aliás, o melhor que já tomei, da marca Caracol). Como ainda não era Primavera, as hortênsias não estavam floridas.  Mas o visual é de se encher os olhos em qualquer época do ano. Uma curiosidade: o parque tem esse nome porque todas as árvores ali plantadas foram trazidas da Floresta Negra na Alemanha. Outra dica: se a viagem for romântica, o passeio de pedalinho é indispensável. Custa R$ 20 o passeio.  

Cris, a minha companheira de aventuras!
De lá fomos direto para a rodoviária, pois tínhamos que retornar à Porto Alegre. Ao lado da rodoviária está a Casa do Colono, que vende pães e cucas quentinhos, tirados direto do forno. E em anexo há uma lojinha de produtos coloniais, como deliciosas geleias. Não resistimos e a Cris acabou comprando um pão sovado. Viemos nos deliciando com ele no caminho de volta, sem culpa nenhuma. Estava gostoso demais!
Há ainda muitos outros lugares para visitar em Gramado, porém, como disse anteriormente, para esse passeio tínhamos apenas um dia. Faltou tempo para ver o restante dos pontos turísticos como a Aldeia do Papai Noel, o Mini Mundo, o  Hollywood Dream Cars, o Mundo a Vapor, e tantos outros lugares. Para mim isso é uma boa justificativa para retornar à Serra Gaúcha. Mas se você quiser ler mais sobre todos esses lugares, pode conferir a matéria que escrevi para a Revista Belleza Total, que sai em breve. Divulgarei o site aqui!
(17 de Setembro) Update: Já postei AQUI o endereço do site para ler a matéria na revista!
Ledinara Batista

Ledinara é jornalista, blogueira e estudante de turismo. Curitibana que adora turistar pela cidade, descobrindo lugares novos. Principalmente se esses lugares tiverem doces, guloseimas e Nutella! Suas descobertas estão aqui, no blog Férias NOW, onde dá dicas para você tirar férias, nem que seja em pensamento.

Leave a Reply