Belezas do Litoral Paranaense – Antonina

O post de hoje engloba: feriado prolongado, delícias gastronômicas, opção de turismo bate-volta e o Dia dos Namorados. Sim, tudo isso tem a ver com ANTONINA!
Gosto de feriados prolongados para fazer viagens curtas, conhecer lugares perto de Curitiba, gastando pouco e prestigiando a cultura do estado. Estive recentemente em Morretes, mas já fazia tempo que eu queria conhecer Antonina. Sempre ouvi falar que é uma cidade graciosa do litoral paranaense, mas menos procurada que a cidade do Barreado. 
Coincidentemente, vi nas redes sociais que acabou de começar (teve início dia 30 de maio e vai até 30 de junho) o 30º Festival Sabores do Litoral. Então, chamei meus companheiros de aventuras e descemos a serra para um almoço regado a camarão fresquinho e, quizá, um pouquinho de Barreado também. Por que não?
Saímos daqui às 11h da manhã e descemos pela Estrada da Graciosa, não apenas para fugir do pedágio, mas também porque o visual por ali é espetacular. Como nenhum de nós nunca tinha ido até Antonina, demoramos um pouquinho mais de tempo contemplando o percurso. Eu havia pesquisado alguns dos restaurantes participantes e fomos procurar o quem tínhamos escolhido. No site dizia que estava localizado na Ponta da Pita, mas fomos até lá e não o encontramos.  No entanto, apesar da fome estar gritando, deu para apreciar um pouco da vista espetacular que se tem dali. É um lugar que dá vontade de sentar e não sair tão cedo. 
Antonina, Ponta da Pita
Ponta da Pita: ideal para pescarias e piqueniques

Mas como já passava das 13h, nosso intestino grosso já estava comendo o delgado, de tanta fome. E como nos poucos (três) restaurantes que tinham ali, nenhum tinha camarão no cardápio e nem estava participando do Festival, fomos rumo ao Centro Histórico. 

Igreja Matriz de Antonina
Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar
Chegando lá, foi bem fácil encontrar a Igreja Matriz e alguns restaurantes. Difícil mesmo era ter vaga em algum deles, estava lotados. O primeiro que entramos foi o Belvedere, logo de frente para uma pracinha. Mas não havia uma mesa sequer e a previsão para haver vaga era de, no mínimo, meia hora. Fomos pela ruela lateral e logo encontramos o   Le Bistrô. Neste sim, havia vaga, e o melhor, com uma bela vista da Baía, e, até do antigo porto, que era responsável pelo escoamento da erva-mate no século 19. 
Festival Sabores do Litoral, Ponta da Pita, Le Bistrô, Antonina
Perguntei sobre o Festival e os atendentes pareceram meio perdidos, sem saber informações. Então escolhemos a opção que tinha um misto de frutos do mar e o tradicional Barreado, R$ 43 por pessoa. Se você escolher sem o Barreado é R$ 40. Mas, como eu gosto de Pirão, mesmo achando caro, escolhi o completo. Depois descobri que o prato participante do Festival é o Pescada à Milanesa e Camarão com Pupunha (uma espécie de palmito), que custa normalmente R$ 38, mas que no evento sai por R$ 30,40. Ah! O diferencial deste restaurante é que eles não cobram o tradicional 10% de taxa de serviço. 
Festival Sabores do Litoral, Ponta da Pita, Le Bistrô, Antonina
Nosso menu, que podia ser comido à vontade, com repetições 
Apesar da falta de informação no início, o atendimento foi bem agilizado e os funcionários eram sempre muito solícitos e simpáticos. A primeira porção que chegou foi de Croquetes de Siri, muito gostoso por sinal. Logo em seguida vieram os outros acompanhamentos. Experimentei um pouquinho de cada coisa (exceto a salada, afinal não como matinhos. Me julguem!), mas o que me fisgou mesmo foram os Camarões à Milanesa e o Barreado. Passamos cerca de duas horas comendo. E confesso que desejei ter um estômago maior para poder comer mais. 
Na saída, os funcionários estavam acabando de receber a revistinha do Festival. Só naquele momento é que eles ficaram sabendo de mais detalhes do evento. Para quem quiser ver as opções antes de descer a erra, pode ler a versão online da revista NESTE SITE

Já chegava perto das 16h quando saímos do restaurante. Fomos caminhar um pouco pela pracinha logo ali na frente e sentir a brisa do mar mais de perto, no trapiche ao lado do Mercado Municipal. Ainda deu tempo para um sorvetinho na pracinha. Aliás, Antonina tem várias praças bonitinhas, que convidam a uma caminhada ou a simplesmente sentar e apreciar a paisagem.
Na volta, paramos na entrada para Morretes para comprar o último item que faltava: Bala de Banana! Sou alucinada pelas balas artesanais. E para quem também gosta, saiba que o pacote de 200g custa R$ 4. Comprei dois!

cocadas, bala de banana, antonina, morretes

Voltando ao início do post, como eu comentei, a cidade é uma boa opção para um passeio rápido, de bate-volta. O Festival gastronômico vai até o final do mês e tem outras cidades participando: Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá, Pontal do Paraná e Ilha do Mel. Ao total são 31 restaurantes participando, com 20% de desconto nos pratos. O principal objetivo é movimentar o litoral fora da temporada. É um excelente motivo para você fazer turismo e passar momentos agradáveis com quem se gosta.

Quanto à cidade, a impressão que tive é de que, ao contrário de Morretes,  a ‘irmã’ mais famosa por seu barreado,  Antonina acabou ficando meio esquecida pelo turismo. Nota-se isso ao entrar no Mercado Municipal, que além de minúsculo, conta com pouquíssimas lojinhas e apenas um restaurante (que inclusive, está participando do Festival, o Cantinho de Antonina). 
Pretendo retornar na alta temporada para ver se a rotina da cidade é diferente.  
Ah, e se você está se perguntando o que a cidade tem a ver com o Dia dos Namorados, eu explico: é início do mês de junho, aquele mês em que para todos os lados que se olha, se veem coraçõezinhos. As pessoas ficam mais românticas (inclusive eu). Por isso, encerro o post de hoje com um clipe romântico que foi gravado em Antonina. É a música “Desse Mar”, do cantor curitibano Tom Júnior. Além da letra ser linda, ainda tem as belas paisagens desse pedacinho do litoral. Confesso que minha vontade de conhecer a cidade aumentou depois que assisti ao clipe pela primeira vez. 
Ledinara Batista

Ledinara é jornalista, blogueira e estudante de turismo. Curitibana que adora turistar pela cidade, descobrindo lugares novos. Principalmente se esses lugares tiverem doces, guloseimas e Nutella! Suas descobertas estão aqui, no blog Férias NOW, onde dá dicas para você tirar férias, nem que seja em pensamento.

Leave a Reply